Home / Pecuária / Medidas simples garantem qualidade de vida de cordeiros
Medidas simples garantem qualidade de vida de cordeiros

Medidas simples garantem qualidade de vida de cordeiros

Não é só de colostro que o cordeiro precisa para ser saudável. Cuidados desde antes do nascimento até a desmama são fundamentais para assegurar a qualidade de vida da mãe e do filhote. Na circular técnica nº 73, organizada pela Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos, SP), o produtor pode encontrar informações importantes para a produção de ovinos na região.

O material apresenta cuidados com a ovelha antes e após o parto, primeiros procedimentos com o recém-nascido e fatores que afetam o bom desenvolvimento do cordeiro.

A publicação está disponível na íntegra na página da Unidade.

Cuidados
Um dos principais problemas enfrentados pela ovinocultura é a morte de recém-nascidos. Fatores ambientais, nutricionais e zootécnicos interferem significativamente na produção animal. O manejo correto da matriz e do filhote auxilia a reduzir os prejuízos causados pela mortalidade dos cordeiros.

O período gestacional de uma ovelha dura cerca de 150 dias. Os últimos 50 dias de gestação merecem cuidado especial, porque é quando o cordeiro ganha 70% do seu peso. A alimentação deve ser suplementada para garantir a boa nutrição do feto e da ovelha. O veterinário Raul Mascarenhas ressalta que as mães não devem receber vermífugos enquanto prenhas. “O uso da medicação pode interferir no desenvolvimento do feto e até mesmo causar má formação”, afirma.

No pós-parto, é crucial alimentar bem a mãe. Ela fornece a maioria de seus nutrientes para a composição do colostro, que deve ser imediatamente oferecido ao recém-nascido. “O animal não recebe imunidade através da placenta e sim pelo primeiro leite produzido pela ovelha”, conta o veterinário. Nas primeiras duas horas de vida do filhote, a absorção de nutrientes é mais efetiva e eficaz. Após o nascimento, o produtor deve fazer a cura do umbigo e a pesagem, além de identificar os animais, por meio de brincos ou tatuagens.

Baixas temperaturas e doenças ligadas à higienização podem comprometer o desenvolvimento dos cordeiros. Planejar as estações de parição para épocas quentes é uma alternativa que previne a morte por hipotermia dos recém-nascidos. D

Doenças como verminose e eimeriose podem ser evitadas com medidas simples de limpeza das instalações onde mães e filhotes permanecem, além da vermifugação constante dos animais.

Publicidade de Exemplo

Veja Também