Conteúdo Exclusivo Notícias

BMW continua com recebimentos de grãos com foco no atendimento personalizado aos clientes

paulo-bmw

 

Recentemente a BMW – Comércio e Representação de Produtos Agrícolas negociou a venda de duas unidades de recebimento de grãos para a Integrada Cooperativa Agroindustrial com sede em Londrina, unidades estas localizadas em Cândido Mota e Maracaí. Outras duas unidades de recebimento, estas alugadas, continuam operando normalmente nos municípios de Cândido Mota e Salto Grande.

Paulo Mailho, sócio proprietário da BMW, falou com a reportagem da Folha de Pedrinhas recentemente, e esclareceu sobre o futuro da empresa, e segundo ele tudo continua como antes, ou seja, uma empresa estruturada com um trabalho focado na prestação de serviços de alta qualidade aos produtores rurais.

A entrevista teve como objetivo esclarecer sobre a matéria veiculada recentemente pela Folha de Pedrinhas, que tratava de entrevista com o presidente da Integrada, o senhor Jorge Hashimoto quando anunciou a compra das duas unidades da BMW.

Mailho disse que a proposta foi irrecusável e atendendo aos anseios da empresa, a negociação foi concluída. “Precisamos aproveitar as oportunidades no mundo dos negócios. Eles nos ofereceram um valor muito bom e diante da expansão das grandes empresas na região decidimos nos capitalizar e seguir o nosso trabalho focados naquilo que somos mais fortes, que é a venda de fertilizantes, agroquímicos e sementes, além do atendimento diferenciado na assistência técnica aos nossos clientes”, justifica Mailho.

Segundo ele, a BMW vai focar em estar mais próximo dos produtores, dando assistência em suas propriedades. A negociação das unidades deixa a empresa mais capitalizada e a venda não ocorreu por motivo de endividamentos, mas em vistas de uma oportunidade irrecusável.

A empresa também esclarece que vai continuar com o recebimento de grãos nas unidades de Cândido Mota e Salto Grande. “Temos muita credibilidade junto aos nossos clientes e o trabalho vai continuar, apenas somos sabedores que diante de grandes concorrentes do segmento de recebimento de grãos que chegam a nossa região não vamos fazer loucura. Continuaremos trabalhando de forma honesta e com os pés no chão, sem colocar em risco a produção de nossos parceiros”, assegura.

Segundo Mailho, o país vive um momento de instabilidade financeira e é preciso se adequar a esta realidade. Em sua visão, a BMW acredita que a melhor forma de enfrentar a situação é se estruturando financeiramente sem arriscar em grandes investimentos que podem vir a comprometer o bom andamento da empresa. “Precisamos avançar, mas não podemos enfrentar uma concorrência com empresas que possui um poder de compra e negociação muito maior que o nosso. Como diz o ditado ‘cada macaco no seu galho’”, argumenta Mailho.

Na sua opinião, as cooperativas em geral possuem maior capacidade de negociação que as empresas privadas. Ele cita a presença da Integrada e da Cocamar que já se instalaram na região e as mesmas chegam com o intuito de investir pesado para aumentar o recebimento de grãos, tendo em vista a grande estrutura que montaram em outros Estados, e ambas possuem várias unidades de transformação que agregam valor a produção dos cooperados, fator determinante na expansão das cooperativas paranaenses. Fato este, na opinião de Mailho, que lhes proporciona um suporte muito grande para conquistar novos produtores, oferecendo negociações atrativas.

“Acreditamos que com a venda das duas unidades nossa empresa se fortaleça ainda mais para focarmos no que realmente nos traz rentabilidade que é proporcionar um alto padrão de atendimento aos nossos clientes”, encerra Mailho.

 

 

You may also like

Leia Mais