Destaque Geral Notícias

George Hiraiwa, CEO da Arabyka, fala sobre o primeiro lote de café exportado com rastreabilidade blockchain

A Revista Agrícola conversou com George Hiraiwa, CEO da Arabyka, startup especializada em rastreabilidade via blockchain, tecnologia de armazenamento de dados em nuvem que permite interação direta entre produtor e consumidor final.  Esta tecnologia foi implementada no café superespecial e orgânico Minamihara, exportado para o Japão no dia 16 de maio. A intermediação entre produtor e startup foi promovida pela Cocriagro, hub em inovações do Agronegócio brasileiro.

O CEO da Arabyka comentou que a ideia surgiu há mais ou menos quatro anos, quando um membro da família Minamihara, que há mais de quinze anos produzem cafés orgânicos numa propriedade de 110 hectares, se interessou pela rastreabilidade via blockchain, pensando em propiciar um valor agregado ao café, através da rastreabilidade, pois a tecnologia permite agrupar dados da colheita, descanso, secagem, lote, variedade, dia e padrão de exportação e muitos outros, de maneira imutável e confiável.

“Quando o café chega no Japão, por meio do QR Code, o comprador pode acessar essas informações, comprovando todos os dados informados, com total transparência e confiabilidade, pois são dados imutáveis.”

Para o CEO da Arabyka, o potencial de crescimento da rastreabilidade é imenso, pois a interação é o ponto de partida para gerar melhoria dos produtos, uma vez que os produtores recebem o feedback dos consumidores. “A tecnologia permite que o consumidor se empondere cada vez mais, podendo ser protagonista da cadeia comprovando informações e, em contra partida, o produtor pode aumentar o valor do seu produto”, ressalta Hiraiwa.

You may also like

Leia Mais