Destaque Notícias

Novas variedades de algodão da BASF chegam ao mercado garantindo qualidade e produtividade aos cotonicultores

Na tarde da última segunda-feira (01), o mercado brasileiro conheceu as novas variedades de algodão da FiberMax, marca líder em sementes de algodão da BASF. As novidades que trazem qualidade, tecnologia e sustentabilidade para as lavouras estão disponíveis para a safra 2021/22.

As sementes FiberMax são referência no mercado e contribuem com o legado da cotonicultura brasileira que vem ganhando cada vez mais destaque globalmente.

Novas variedades

A resistência múltipla à doenças é uma busca constante na estratégia de melhoramento. Além do pilar da tecnologia e sustentabilidade, as novas variedades de FiberMax já estão disponíveis para todo Brasil e contam com a resistência múltipla para auxiliar o agricultor com suas principais necessidades no campo.

FM 978GLTP RM – Variedade com ciclo mais longo e com resistência a ramulária 1.

FM 970GLTP RM – Com ciclo médio, a tecnologia conta com a resistência múltipla ramulária 1 e 2, além do namatóide de galha. A variedade é a mais completa do mercado com foco nas necessidades do agricultor.

FM 912GLTP RM – Tecnologia com resistência múltipla a nematóide de galha e com ciclo precoce no campo.

As tecnologias com resistência múltipla oferecem maior controle de doenças, pragas, além de fornecer alto potencial produtivo e qualidade da fibra de referência mundial na lavoura do cotonicultor.

“Estas novas variedades regadas de altas tecnologias vão ampliar as opções para o manejo de plantas daninhas e lagartas, proporcionando melhor desenvolvimento do algodoeiro. A BASF acredita no legado da cotonicultura brasileira que é altamente tecnificada e competitiva”, afirma Marcus Lawder, gerente de produto FiberMax® da BASF.

Tecnologia, produtividade e qualidade

A BASF é referência em inovação e posiciona-se como parceira de longo prazo do agricultor brasileiro. As novas variedades chegam ao mercado com a tecnologia GLTP (GlyTol LibertyLink e TwinLink Plus) associada aos genes de resistência múltipla (traits nativos), que oferecem alto potencial produtivo do cultivo.

As variedades com a tecnologia GLTP são tolerantes aos herbicidas Liberty e ao glifosato, o que oferece maior flexibilidade para o manejo das plantas daninhas. A tecnologia também oferece avançado controle de lagartas, facilitando o manejo na lavoura e protegendo o potencial produtivo da variedade.

Inovação

A BASF também trabalha no desenvolvimento da tecnologia TLP. O algodão TLP conta com três proteínas que garantem a melhor proteção contra as lagartas do algodoeiro e tolerância apenas ao herbicida Liberty (glufosinato de amônio). O algodão TLP é focado no mercado brasileiro, atendendo uma demanda local. A BASF tem uma parceria de longo prazo com os cotonicultores do país para desenvolver soluções para contribuem para o legado do agricultor.

Visão de futuro

São aproximadamente 500 agricultores de algodão no Brasil, pautados pelos pilares de rastreabilidade, sustentabilidade e qualidade. Júlio Cézar Busato, presidente da Abrapa (Associação Brasileira dos Produtores de Algodão) destaca o crescimento do mercado no país. “A minha expectativa é que o Brasil se torne o primeiro exportador mundial de algodão. Isso será apenas uma questão de tempo”.

Sustentabilidade

FiberMax apoia o movimento Sou de Algodão, iniciativa que promove a produção responsável, com respeito ao meio ambiente e ao trabalhador. O Brasil é o único lugar que conta com um projeto de tamanha magnitude e é o maior fornecedor de algodão sustentável do mundo, certificado pelo programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR).

“Apoiamos o Movimento Sou de Algodão porque incentiva o uso da fibra natural no país. Além disso, acreditamos no desenvolvimento de ações de sustentabilidade na cadeia produtiva”, finaliza Lawder.

You may also like

Leia Mais